FLI72017: Encontro bilíngue fomenta debate sobre a língua inglesa

FLI72017: Festival Mixtura reúne arte, música, grafite e mobiliário urbano
28 de setembro de 2017
FLI72017: Livro de Ana Márcia tem gentileza como remédio para mau humor
28 de setembro de 2017

Para Antonia Megale, o ensino de línguas tem que ser tratado como uma língua adicional e não estrangeira (Foto: Lucas Mota)

A proposta é mostrar como os professores podem facilitar e desenvolver o aprendizado das crianças para a língua inglesa, além de criar novas formas de ensino

Texto: Paulo Victor (4º Semestre – Jornalismo UNI7)
Foto: Leandro Rabelo (2º semestre – Publicidade UNI7)

Uma nova forma de nomenclatura para o aprendizado de inglês. Esta foi a proposta apresentada pela professora Antonia Megale na conferência “Utilizar as línguas para aprender, relações entre língua e mundo nas aulas de língua inglesa”. O encontro aconteceu na tarde desta quinta-feira, 28, na sala 29 da UNI7 (Centro Acadêmico 7 de Setembro), como atividade do Encontro Bilingue da 2ª FLI7 – Festa Literária 7 de Setembro.

Professores debatem novas possibilidades para o ensino de inglês para crianças (Foto: Leandro Rabelo)

Segundo a professora, o ensino de línguas tem que ser tratado como uma língua adicional e não estrangeira. Ela abordou também o benefício da utilização de línguas para aprender em um cenário onde quem possui um domínio bilíngue, tem o campo de conhecimento e pesquisa aumentado.

O evento teve como foco a abordagem que os professores utilizavam na sala de aula para motivar os alunos a aprender inglês. Foram elaboradas quatro perguntas a respeito de como é o processo de aprendizado de línguas e suas etapas de compreensão para debater novas formas e antigas maneiras de ensino na sala de aula. A professora afirma que a língua inglesa se faz importante para se constituir como cidadão.

Foram feitas rodas de conversas para debater assuntos a respeito da nova forma de ensinar inglês (Foto: Leandro Rabelo)

Para Antonia, a grande dificuldade para o ensino da língua inglesa, se faz por parte das crianças, pois elas possuem dificuldades de compreender a importância de falar uma nova língua. É necessário, para isso, trabalhar o ensino de idiomas como forma de brincadeira para melhorar o aprendizado.

Para o professor Fábio Delano, curador geral da 2ª FLI7, o objetivo do encontro é discutir as novas oportunidades que o ensino bilíngue oferece e aumentar a demanda sobre o assunto. “É uma felicidade enorme cada vez mais brasileiros estarem tendo acesso a aprender outras línguas. Alavanca cada vez mais as oportunidades geradas para o país. Quando se dá acesso aos alunos a uma segunda língua, a gente está contribuindo demais, não só para aquele aluno, mas para o próprio país”.

Conteúdo gerado pelo NPJOR/Curso de Jornalismo UNI7