FLI72017: Escritora Thalita Rebouças comanda bate-papo animado com jovens

FLI72017: “Doidice que Dá”, um espetáculo para dançar e cantar juntos
29 de setembro de 2017
FLI72017: Cenário carioca é inspiração para Lira Neto em “Uma história do samba”
30 de setembro de 2017

A escritora contou que sempre acreditou nas suas histórias e sabia que seu momento ia chegar

Referência do público juvenil, a autora deu dicas para quem almeja ser escritor e falou da importância de não desistir dos sonhos para alcançar seus objetivos

Texto: Erika Chagas (6° semestre – Jornalismo/UNI7)

Fotos: Bruno Moura (2° semestre – Publicidade e Propaganda/UNI7)

Considerada a escritora brasileira que mais vende livros para o público adolescente, com 22 lançados e cerca de dois milhões de livros vendidos, Thalita Rebouças comandou um bate-papo descontraído e uma sessão de autógrafos no espaço Ágora na 2ª Fli7- Festa Literária 7 de Setembro. Durante a conversa com os jovens, a escritora também lembrou das dificuldades do começo da carreira e falou sobre a importância de não desistir dos sonhos.

Thalita disse que de, certa forma, a escritora da saga Harry Potter, J. K. Rowling, ajudou nas vendas dos seus primeiros livros. “Como nossos livros eram publicados pela mesma editora, enquanto os fãs da saga esperavam o próximo livro, acabavam comprando os meus”. Mas, a escritora brasileira ressalta que J. K. Rowling nunca foi inspiração para seus livros.

O diferencial das histórias contadas nos livros é que elas não buscam passar sermões para os adolescentes e, sim, contar de uma forma descontraída, o dia a dia dos jovens. Este é um dos motivos que Lara Albuquerque, 20, segue a escritora por todos os lados. “Fui até à Bienal de São Paulo para poder dar um abraço e conseguir um autógrafo nos livros”, lembrou a estudante de jornalismo.

A escritora lembrou que quando decidiu abandonar o jornalismo e se dedicar aos livros, sua família ficou preocupada, mas isso não foi motivo para desânimo. Para os que gostam de escrever e almejam um dia ser escritor (a), Thalita ressaltou a importância de acreditar em si mesmo e correr atrás dos seus sonhos. “Quem quer escrever, escreve todos os dias. Quanto mais a gente escreve, melhor”, finalizou a escritora.

Conteúdo gerado pelo NPJOR/Curso de Jornalismo UNI7